quinta-feira, fevereiro 17, 2005

Meu caro compatriota,

Conforme será do seu conhecimento, os votos do círculo da Europa são aceites até ao dia 2 de Março, desde que apresentem como data limite de carimbo dos correios o próximo dia 20 de Fevereiro. Estamos então em cima do acontecimento, pelo que daqui lhe escrevo pela última vez antes da sua decisão.
Atempadamente apresentou esta candidatura um Manifesto Eleitoral enunciando pontos de honra, documento que enviámos incansavelmente para os órgãos de comunicação social das comunidades portuguesas. Não obstante, poucas foram as respostas obtidas e ainda em menor número as que se concretizaram em entrevistas. Apesar desse intenso bloqueio mediático - que aliás o PNR sofre em todos os círculos eleitorais em que se apresenta - procurámos fazer uma campanha pela positiva. E assim foi que partimos ao encontro de clubes e associações portuguesas espalhadas por este nosso Velho Continente. Das trocas de impressões mantidas com quantos estão no terreno, guardarei uma grata recordação de todos e uma sincera estima por alguns que se manifestaram mais próximos.
Apesar das dificuldades, estou certo de que a mensagem dos nacionalistas do PNR terá chegado a um maior número de pessoas. Alguns de vós conhecem hoje as nossas propostas: sabem que somos oposição à Constituição Europeia e que nos batemos para que venha a ser referendada; sabem que mais ninguém em Portugal se opõe à entrada da Turquia na União Europeia. Sabem que valorizamos essa questão central que é a defesa e promoção da língua e da cultura portuguesa, para que - no mínimo - os vossos filhos a conheçam tão bem quanto vós. Mas sabem também que sendo dialogantes, seremos firmes e irredutíveis quando estiverem em causa os nossos valores.
Em termos de campanha eleitoral, nada mais dependia de nós. Com poucos recursos para além da força de vontade e da militância desinteressada, era impossível ao PNR enviar para vossas casas brochuras de luxo. E assim ficamos pelas ideias e pela Palavra de Honra. E é justamente em nome dessa Palavra de Honra que vos peço coragem, para que destas eleições possa sair uma alternativa ao invés da habitual alternância que a todos desilude. Peço-vos coragem para que com um voto verdadeiramente útil, possamos honrar as nossas convicções e arrepiar caminho. Peço-vos coragem, porque ela é precisa para dar força a um partido que é novo e porque a caminhada - prometendo ser longa - não deixa de ser de todos. Que Deus lhe ponha a virtude.

Vote PNR - Partido Nacional Renovador!

Pedro Guedes
(Cabeça de lista pelo círculo da Europa)

terça-feira, fevereiro 15, 2005

A política do deixa andar

Em períodos eleitorais estão as nossas comunidades habituadas a visitas cerimoniosas de quantos, depois dos votos, se esquecem dos portugueses residentes no estrangeiro. E estão igualmente habituadas às promessas que agora mais uma vez se renovam de amor eterno para com a promoção da língua e cultura portuguesa no mundo. O facto é que quanto a isso... estamos conversados. A título de exemplo - e pelo que demonstra de desorientação e desinteresse do Estado para com os nossos emigrantes e os seus filhos - importaria recordar o legado desta maioria no que ao ensino do português na Alemanha diz respeito. Eis um pequeníssimo excerto de um interessante documento que nos foi enviado pela Comissão dos Professores de Português da área consular de Frankfurt:

"Mantendo-se embora constante o número de alunos, a qualidade do ensino e o número de professores diminuiu drasticamente. Só no estado do Hessen já estão sem aulas de Português os cursos de Limburg, Schwalbach e Hessisch Lichtenau, tendo sido também extinto, entre outros, o Curso de Português para alemães num liceu de Kassel e reduzidos os horários em muitos outros; no próximo ano lectivo ficarão mais 300 alunos sem aulas em Groß Umstadt atendendo a que os dois professores, por terem atingido a idade de reforma, regressam a Portugal."

É caso para dizer que se é assim a paixão pelo português, mais vale não alinhar nesses namoros. Pela nossa parte tomamos nota e perguntamos: querem mais do mesmo?

sábado, fevereiro 12, 2005

Relatório e Contas

Ao fim de uma semana de campanha eleitoral, a candidatura do PNR pelo círculo eleitoral da Europa pode afirmar com clareza que tem feito política. Enviámos o nosso manifesto eleitoral para dezenas de órgãos de comunicação social das comunidades portuguesas em França, na Alemanha, na Suiça e no Luxemburgo; estivemos dispostos a conceder entrevistas e a facultar elementos de todo o tipo a quantos o solicitaram; contactámos organismos diversos (como seja o Sindicato dos Trabalhadores Consulares e das Missões Diplomáticas [STCDE]) e respondemos com prontidão a cartas-abertas que nos foram enviadas por outras tantas organizações, referindo-se a título de exemplo - e por ser a última - a Comissão dos Professores de Português da área consular de Frankfurt (Hesse e Renânia do Palatinado). Longe da boataria e do fait-divers, entendemos ser preferível afirmar os nossos valores pela positiva.
Aqui estamos e permanecemos, firmes e determinados, prontos a esclarecer os que procurarem conhecer as nossas posições. Estejam onde estiverem - em Lisboa ou em Paris - connosco, estarão os portugueses primeiro!

terça-feira, fevereiro 08, 2005

Programa Eleitoral do PNR

Está já disponível para consulta o Programa Eleitoral do PNR. Desse modo, convidamos quantos por aqui passam a proceder à sua leitura atenta antes de votarem. Aproveitamos para recordar que as comunidades portuguesas na Europa deverão exercer o seu direito de voto por correspondência, sendo que o carimbo dos correios constante do envelope deverá indicar como máximo o próximo dia 20 de Fevereiro.
Já não faltam muitos dias para começarmos a reerguer Portugal!

Diga NÃO ao aborto livre. Vote PNR!

sábado, fevereiro 05, 2005

Votação em marcha

O STAPE - Secretariado Técnico para os Assuntos do Processo Eleitoral anunciou ter já recebido até à passada quinta-feira 222 votos provenientes de portugueses residentes no Velho Continente. Daqui apelamos às nossas comunidades espalhadas pela Europa que continuem a votar a bom ritmo, recordando que os votos do círculo da Europa são aceites até ao dia 2 de Março, em que se realiza a sessão de apuramento final, desde que apresentem como data limite de carimbo dos correios o dia 20 de Fevereiro.
Chegou a hora de dizer basta! Menos alternância para dar força à verdadeira alternativa!

sexta-feira, fevereiro 04, 2005

Debate em Paris

A Federação das Associações Portuguesas de França e o jornal "Encontro" organizam no próximo domingo - dia 13 - um debate com os diversos candidatos pelo círculo da Europa na Casa de Portugal, em Paris. Não podendo infelizmente estar presente, o cabeça de lista do PNR pelo círculo da Europa agradece o convite, salientando a igualdade manifestada para com todas as candidaturas.

(Pedro Guedes)

quinta-feira, fevereiro 03, 2005

Voto electrónico

A Agência para a Sociedade do Conhecimento e o Secretariado Técnico dos Assuntos para o Processo Eleitoral, com o apoio da Comissão Nacional de Eleições e do Ministério dos Negócios Estrangeiros anunciaram ter enviado aos eleitores dos círculos da emigração uma carta com um código de acesso que lhes permitirá testar o voto electrónico numa plataforma passível se ser consultada em: www.votoelectronico.pt/. Ainda assim - e sendo a iniciativa louvável - as candidaturas do PNR pelos círculos da emigração chamam a atenção para as declarações dos responsáveis por este teste: "como se trata de apenas uma experiência, no momento em que o eleitor confirmar o seu sentido de voto no portal, ser-lhe-á pedido que não deixe de exercer o seu direito de voto da forma tradicional uma vez que o voto electrónico é experimental e não é vinculativo.
Neste quadro, apelamos a todos quantos queiram ver o seu voto efectivamente contabilizado para que utilizem os mecanismos habituais, devolvendo a sua decisão por correspondência postal, sendo que o envelope deve ter selo dos correios anterior ao dia 20 de Fevereiro.
Portugal sempre, os portugueses primeiro... estejam onde estiverem!

sexta-feira, janeiro 28, 2005

O que valem as Leis Eleitorais?

A imprensa de ontem - nomeadamente nesta notícia da RTP, repetida nos espaços informativos da televisão pública - deu notícia de um debate entre algumas das listas candidatas às próximas eleições legislativas pelo círculo da Europa. A candidatura do PNR - Partido Nacional Renovador faz questão de informar as comunidades portuguesas de que não foi objecto de nenhum convite para que estivesse presente no referido debate, manifestando a sua indignação pelo relapso não cumprimento da Lei em vigor e das directrizes provenientes da Comissão Nacional de Eleições.
Novamente nos disponibilizamos para fazer chegar às nossas comunidades a mensagem dos nacionalistas portugueses, não sem antes garantir aos nossos eleitores e simpatizantes que tudo faremos para que todas as candidaturas possam ser ouvidas daqui em diante em pé de igualdade, prometendo desde já apresentar junto dos organismos competentes as queixas necessárias por infracção da Lei Eleitoral.

quarta-feira, janeiro 26, 2005

PNR-Europa na Imprensa (I)

O cabeça de lista do PNR pelo círculo da Europa - Pedro Guedes - concedeu na passada sexta-feira uma entrevista a Carlos Pereira, director do Luso Jornal, o "semanário bilingue dos portugueses de França". As linhas orientadoras do PNR pelo círculo da Europa são publicadas na edição n° 12 do referido jornal, que leva a data de 27 de Janeiro de 2005.
Aproveitando a ocasião, a candidatura do PNR por este círculo apela ao cumprimento da Lei pelos órgãos de comunicação social destinados às comunidades portuguesas residentes no Velho Continente, disponibilizando-se ao mesmo tempo para, no seu círculo, ajudar a esclarecer os portugueses em face das eleições legislativas de 20 de Fevereiro.

terça-feira, janeiro 25, 2005

Manifesto Eleitoral em PDF

O Manifesto Eleitoral do PNR que atrás já ficou afixado está disponível em formato PDF a quantos o solicitem. À vossa disposição - para esse efeito e não só - está o endereço de correio electrónico pnreuropa@yahoo.com.br.

Referendo à Constituição Europeia

Os deputados do PNR – Partido Nacional Renovador comprometem-se a tudo fazer para que exista em Portugal um referendo à Constituição Europeia. Este referendo – que os principais partidos que alternam a governabilidade dizem querer mas do qual efectivamente fogem como o diabo da Cruz – é para o PNR absolutamente essencial, por estar em causa a necessidade de assegurarmos a perenidade de valores eternos, como sejam os da Soberania e Independência Nacional.

Conselho das Comunidades Portuguesas

Entendemos que a função consultiva do Conselho das Comunidades Portuguesas deve ser respeitada e incentivada junto do governo, das embaixadas e postos consulares e inclusivamente de comissões parlamentares cuja temática às comunidades portuguesas diga respeito.

O PNR – Partido Nacional Renovador considera preocupante que sucessivamente se vejam notícias dando conta de tentativas de instrumentalização do Conselho que consideramos inaceitáveis e que de algum modo transportam para esta estrutura os vícios da partidocracia reinante.

O Conselho das Comunidades Portuguesas terá um papel relevante na exacta medida em que seja supra-partidário e independente. Os Portugueses primeiro. Os partidos depois.

Sociedade de Informação

O PNR – Partido Nacional Renovador defende que no quadro dos programas para a Sociedade de Informação que sucessivamente vão sendo anunciados em Lisboa como destino de largos milhões de euros, se disponibilizem no âmbito dos projectos do Portal do Governo e sobretudo do Portal do Cidadão zonas específicas capazes de servir de centro de informação unicamente destinado às comunidades portuguesas e no qual se possam efectivamente prestar serviços aos nossos emigrantes.

O elenco dos serviços a disponibilizar seria objecto de especificação posterior, depois de ouvidos os representantes das comunidades portuguesas – associações diversas e Conselho das Comunidades Portuguesas – que são os que efectivamente melhor conhecem as suas necessidades do dia a dia. A eficácia desta medida seria tanto maior quanto pudesse diminuir a necessidade de deslocação às missões diplomáticas.

Defesa e promoção da língua e cultura portuguesas

Observamos com extrema preocupação o desleixo e, por consequência, o fraco investimento do Estado na defesa e promoção da língua portuguesa no mundo. Sendo certo que o português é uma das maiores armas estratégicas de que dispomos à escala planetária cujo valor inestimável o país não está em condições de esquecer, o PNR – Partido Nacional Renovador é defensor de um maior investimento nesta área, seja em meios humanos, seja em meios técnicos, não apenas para que se proporcione aos luso-descendentes um contacto com a sua língua e cultura de base, mas também por forma a atrair novos luso-falantes.

Num momento em que o conceito de “diplomacia económica” passou a ser moda, entendemos ser relevante estabelecer a vertente da “diplomacia cultural” – a qual, a título de exemplo, não é estranha à estratégia de visibilidade externa dos sucessivos governos espanhóis. Desde logo, o PNR julga caber ao Instituto Camões um importantíssimo papel, dando-lhe uma maior visibilidade e tornando os seus espaços verdadeiros centros culturais em permanência, onde terão cabimento cursos de língua, cultura e literatura portuguesa, cursos práticos de conversação virados para os negócios internacionais, bibliotecas de qualidade e verdadeiramente apetrechadas com zonas multimedia, sem esquecer a promoção de artistas portugueses através da organização de exposições de tipo diverso. Em resumo, o PNR concebe estes centros como sendo espaços cosmopolitas, modernos e dinâmicos, verdadeiras embaixadas de cultura.

Paralelamente, compete ao Estado tentar garantir o aumento do número de professores de língua portuguesa habilitados a leccionar nos sistemas públicos de ensino dos vários países europeus que incluem a língua portuguesa nos idiomas estrangeiros passíveis de estudo nos seus curículos oficiais. A estes professores de português como língua estrangeira deverão ser proporcionados materiais actualizados, modernos e atractivos para que possam cumprir da melhor forma a sua missão. Quando em “comissão de serviço” e partidos de Portugal, estes professores deverão, uma vez regressados, poder reassumir sem problemas as suas anteriores funções profissionais, sem perda de direitos inclusivamente para efeito de reforma.

Por fim, entende o PNR que embora tal não dependa apenas da vontade de Portugal, o Ministério da Cultura em articulação com o Ministério dos Negócios Estrangeiros e as respectivas Secretarias de Estado deverão desenvolver esforços no sentido de tornar possível aumentar os departamentos de Estudos Portugueses existentes nas principais universidades europeias.

Consciente de que um projecto global de promoção da língua portuguesa não se ergue de um dia para o outro, o PNR vê com bons olhos que o Estado apoie eficazmente as associações de emigrantes portugueses ou órgãos de comunicação social das comunidades portuguesas que tantas vezes se substituem ao Estado no cumprimento do que deveriam ser obrigações suas.

Ex-Combatentes

Consideramos que não há Portugueses de primeira e Portugueses de segunda. E entendendo que estejam onde estiverem, os Portugueses estão em primeiro lugar, o PNR – Partido Nacional Renovador julga ser imperioso compatibilizar a situação dos emigrantes portugueses com a legislação de contagem do tempo de serviço dos nossos ex-militares do Ultramar. Nesta matéria, as promessas da maioria PSD/CDS não chegaram às comunidades portuguesas.

Combate firme ao tráfico de documentos de identificação portugueses

As sucessivas notícias vindas a público em diversos órgãos de comunicação social referindo a facilidade com que se compram documentos de identificação portugueses no mercado negro é extraordinariamente negativa para a segurança do país e para a imagem das comunidades portuguesas.

O PNR entende que o Estado deve combater de forma exemplar este tipo de criminalidade, mostrando uma firme vontade política de resolver o problema, estreitando laços de cooperação entre as diversas polícias europeias e a Europol e tomando iniciativas no quadro do relaccionamento inter-ministerial da União Europeia.

Paralelamente, exige-se que os postos diplomáticos estejam dotados dos adequados sistemas de segurança e de vídeo-vigilância, medidas complementadas com inspecções do Ministério dos Negócios Estrangeiros especialmente atentas a estes fenómenos.

Rede Consular

O PNR – Partido Nacional Renovador considera a política de progressivo encerramento de Consulados portugueses no exterior, nomeadamente em França e na Alemanha, como altamente lesiva dos interesses das comunidades portuguesas, podendo apontar-se como exemplo da desorientação destas medidas os casos dos postos consulares de Rouen e de Osnabruck. Mais grave ainda é que, persistindo no erro, as propostas eleitorais do PSD renovem a vontade de prosseguir esta linha orientadora, afastando os Portugueses das suas representações diplomáticas. O PNR alerta as comunidades portuguesas residentes na Europa de que as propostas de “reestruturação da organização consular” dos grandes partidos – traduzidas para português corrente – significam menos Consulados, menos quadros e um pior serviço prestado.

Os deputados do PNR lutarão no sentido de evitar o encerramento de outros postos consulares, procurando forçar o governo a cumprir a promessa de criação de postos consulares alternativos, dotados de capacidade de emissão de Bilhetes de Identidade, documento essencial para as comunidades portuguesas residentes no espaço comunitário.

O PNR exige ainda que sejam abertos os concursos para preenchimento das vagas existentes nos Consulados – inexplicavelmente congelados –, criando novas vagas em postos diplomáticos onde a falta de funcionários é manifesta e procurando garantir a existência de um Vice-Cônsul devidamente habilitado nas representações onde a sua presença não se verifique.

Manifesto Eleitoral do PNR pelo Círculo da Europa

O boletim de voto

Efectuado o sorteio das listas no passado dia 11 de Janeiro, eis que a ordem dos partidos que se apresentam a sufrágio pelo círculo eleitoral da Europa é o que segue:

1 – PSD
2 – PNR - Partido Nacional Renovador
3 – PS
4 – BE
5 – CDU
6 – PP
7 – PCTP
8 – PND

Não tem pois que enganar: é votar no segundo.